Diariamente, milhares de pessoas perdem seus gatos e cachorros. E, geralmente, a dificuldade para encontrá-los é tão grande que daria para escrever uma epopeia.

Graças a tecnologia, as ferramentas de busca estão se pluralizando e, consequentemente, chegando a mais pessoas. Antes, o que se podia fazer é pregar imagens do bichinho nos postes, usar o boca a boca ou pagar anúncios. Hoje, já se pode utilizar as redes sociais, como Facebook e Twitter, e contar com a generosidade dos usuários para divulgarem para os seus contatos e seguidores a mensagem com a foto do animal perdido. No Brasil, por exemplo, existem redes sociais somente para isso, como Cachorro Perdido e Procura-se Cachorro.

Porém, um aplicativo lançado em Vancouver, no Canadá, vai além e utiliza o reconhecimento facial em cães e gatos. Basicamente, o app chamado PiP permite que donos usem uma foto do animal perdido para encontrá-lo. O software faz cruzamento de dados da imagem do bicho com de outros encontrados e que estão em abrigos e órgãos de controle animal da cidade. Além disso, mesmo que o animal não seja achado, a imagem estará registrada em um banco de dados permitindo futuras pesquisas.

Segundo o CEO e fundador da empresa Philip Rooyakkers, o app, que está disponível para iOS, utiliza os olhos e o lábio superior dos animais para fazer as identificações. A precisão é impressionante, segundo Rooyakkers, 98% dos testes tiveram resultados positivos.

É a tecnologia ajudando os animais perdidos reencontrarem os seus lares.

Aplicativo de reconhecimento facial animal ajuda a encontrar cães e gatos perdidos
Classifique este post

Leandro Sousa

Com mais de 5 anos de experiência com marketing digital, é gerente de estratégias da Bamboo. Formado em Jornalismo, iniciou sua carreira como redator. Respira, diariamente, inbound marketing, mídia digital e marketing de conteúdo.