As melhores estratégias de marketing digital orientadas a resultados utilizam métodos que requerem conhecimentos sobre as tecnologias da web aliadas às competências de marketing e negócios. E uma das práticas que mais se destacam nesse sentido é o Growth Hacking.

No post de hoje, vamos entender exatamente o que é Growth Hacking e qual é a melhor maneira de utilizá-lo na sua estratégia de marketing digital. Confira!

O que é Growth Hacking?

Growth Hacking é um termo em inglês que engloba práticas cujo objetivo é encontrar oportunidades, brechas ou atalhos para o crescimento da empresa.

Crescimento, aqui, pode representar diversos objetivos, como:

Vale ressaltar que empresas de todos os tamanhos podem implementar o Growth Hacking. Apesar de ele exigir uma carga considerável de trabalho dos profissionais, é possível chegar aos melhores resultados com um bom planejamento, disciplina, capacidade de lidar com metas ambiciosas e respeito ao processo que vamos conferir a seguir.

Como usar Growth Hacking na estratégia de marketing digital?

Depois que a empresa determina um objetivo de crescimento — como os que vimos na seção anterior —, é preciso seguir alguns passos para alcançá-lo.

1. Brainstorming: geração de ideias

O propósito do brainstorming é pensar e tomar nota de ideias de como alcançar o objetivo, sem julgar se elas são boas ou ruins, lembrando de que todos os membros da equipe devem ter espaço.

O interessante é que as ideias dos colaboradores podem se combinar e chegar a soluções realmente interessantes.

2. Seleção de ideias

Passado o estágio de brainstorming, podemos julgar quais ideias fazem sentido e, de fato, têm potencial de aproximar a empresa do seu objetivo.

Selecione as melhores e priorize para saber quais você colocará em prática em seguida.

3. Documentação dos experimentos

Depois de escolhidas as ideias, temos que documentar as informações sobre elas e registrar como vamos executá-las. Isso é importante para termos um histórico das ações que dão certo e das que não funcionam tão bem.

Como estamos modelando ideias que serão testadas, dizemos que essa é uma documentação dos experimentos.

Sendo assim, para cada experimento, crie um documento contendo:

  • nome do experimento;
  • membros da equipe envolvidos;
  • hipótese de como o experimento deve funcionar;
  • indicadores para medir o desempenho esperado;
  • ferramentas e recursos necessários;
  • modo de operação;
  • frequência de acompanhamento.

4. Implementação dos experimentos

Agora é a hora de executar o modo de operação, observar a performance do experimento e registrar os resultados. Não se esqueça de sempre seguir as orientações do passo anterior.

5. Análise de resultados

Colhidos os resultados, estamos aptos a analisar o que deu certo, o que deu errado e por quê.

Documente o aprendizado que você tirou dessas informações, analisando as métricas, verificando se sua hipótese foi confirmada — ou não — e comparando o crescimento esperado com o desenvolvimento real.

Use esse aprendizado para pensar em novas ideias para melhorar esse ou, até mesmo, outros experimentos.

Com essa mentalidade de constantemente testar ideias e aprender com elas, o Growth Hacker encontrará maneiras inovadoras para contribuir com o crescimento da empresa. E o mais importante: tudo comprovado por uma abordagem científica, que prioriza os dados e resultados e não dá espaço para achismos.

E aí, curtiu o artigo? Quer saber como aplicar outras táticas além do Growth Hacking para ter sucesso com suas estratégias? Então continue se informando com o nosso post “Marketing Digital: o que você precisa saber para aplicar em seu negócio e otimizar seus resultados”!

Wenderlan Viana

Sócio da Bamboo, atua como diretor de novos negócios, relacionamento com clientes, planejamento e estratégia. Mais de 14 anos de experiência em marketing digital é formado em design gráfico e usabilidade. Especialista em marketing digital, SEO, design de interface, arquitetura da Informação.